Dor e silêncio

Humanamente não tem como não sentir, falar ou escrever sobre a tragédia aqui no Rio Grande do Sul, na cidade de Santa Maria.
O que dizer nesse momento de dor? Será que existe alguma palavra de consolo que possa ser pronunciada? Não, não há palavras. A dor simplesmente consegue silenciar tudo. É uma dor não localizada, generalizada, tão doída que nem anestésico existe. É uma espécie de frio que invade os ossos e por aí fica torturando. 
Não há palavras, não há respostas para isso e se houvessem não satisfariam. Restam os abraços que confortam, laços que se agigantam, alguém com quem chorar. Há tantas lágrimas por secarem... Mesmo que os olhos voltem-se para os céus, tudo parece tão distante e sem saída. Tudo isso vai passar? Sim! Vai passar um dia, não agora. É preciso silenciar e deixar a dor se acomodar. Mas a dor vai passar.

A nossa vida sempre será o somatório de momentos e sentimentos que se alternam. A dor é decorrência de um grande amor, e se não houvesse amor não valeria a pena viver. Mesmo sendo a dor insuportável, vale a pena continuar amando. É necessário ir adiante e, mesmo que seja difícil de aceitar, a vida tem que continuar.
Essa tragédia não foi a estreia da dor, muitas pessoas já sofreram antes e diariamente, em menor escala, corações são triturados por tanta dor. Houve Alguém que foi elevado ao alto da cruz, experimentou dor insuportável, chegou a gritar: "Pai, por que me abandonaste?" Não houve nenhuma resposta. Em seguida houve uma certeza. Há algo maior que a dor. Depois da dor, o amor; depois da cruz, a luz.

Quando a dor silencia as palavras, não se pode esquecer que a vida continua. Mesmo que pareça não mais existir direção. Novos caminhos terão que ser redescobertos. Esquecer, jamais. Continuar vivendo, sim. 
É pela fé que a vida redescobre novo vigor e novos passos para continuar o seu caminhar. 

17 comentários:

  1. Encerrou brilhantemente seu texto, Nestor, e isso dispensa maiores comentários. Só mesmo a fé é capaz de orientar a busca pela retomada do caminho e capacita a restaurar o amor. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia,
      Nesse momento, não há muito o que se fazer, além de manter a fé e a esperança em dias melhores.

      Abraços.

      Excluir
  2. Nestor,

    Cada pessoa precisa viver o seu luto, mas lembrando que está viva e ao redor de si existe o mundo que a espera.

    O que aconteceu no sul deveria ser um alerta para todo o mundo ser mais criterioso ao sair de casa para festas onde há aglomerações, alem de que as normas de segurança tambem precisam ser rigorosamente cumpridas. Pelo que vi nos noticiarios, de tempo em tempo acontece um acidente grave demonstrando que o homem se esquece de detalhes importantes.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sissym,

      Há um grande descompromisso com a vida e com o ser humano, e um exagero desenfreado na busca por dinheiro e bens materiais.

      Vidas ceifadas, jamais serão recuperadas.
      Abração.

      Excluir
  3. Pais perderam seus filhos,me coloco no lugar dessas mães e dói,dói muito só de imaginar...e só com fé mesmo pra seguir em frente,espero que as autoridades não esqueçam tão facilmente do ocorrido e dá mais valor a vida e não ao dinheiro.Abraços Nestor!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Margarete, tudo bem com vocês?

      Qualquer perda é dolorida. Em se tratando de filhos, a dor é quase que insuportável. A dor irá passar, as cicatrizes permanecerão para sempre.
      Luto, silêncio, fé e esperança são os únicos caminhos a serem percorridos, nesse momento.

      Foi bom receber sua visita! Abraços.

      Excluir
    2. Sim,sim....Tudo bem por aqui;não é sempre que comento mas sempre leio seus textos,adoroo!!!Ahammm seu filho é lindo um verdadeiro PRINCIPE!!Abraço e bom final de semana pra familia.

      Excluir
  4. Pra que não haja outra dor dessa dimensão, embora a morte, única ou coletiva, seja igualmente dolorida, é preciso que esse país deixe de fazer de conta que as leis são cumpridas. Isso não foi uma fatalidade, foi um crime.

    Enfim.
    Eu não acredito em punições a não ser pros músicos e seguranças, que foram apenas o estopim da coisa.

    Lamento.
    Lamentável.

    Abraços, Nestor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Milene?
      Realmente, a maior parcela de culpa, sobre esse crime, recai sobre o próprio Estado, guardião das leis e do direito. Mas cabe a quem punir o Estado!?

      O mínimo que se espera é que esse triste ocorrido, não caia no esquecimento, assim como tantas outra tragédias e que os reais culpados respondam por seus delitos.
      Abraços.

      Excluir
  5. OI NESTOR!
    SÁBIAS E CONSOLADORAS PALAVRAS.
    SÓ PENSO NESTAS MÃES,QUANDO ESTA COMOÇÃO PASSAR, SERÁ PIOR PARA ELAS, VÃO SE SENTIR DESAMPARADAS E SEM SEUS FILHOS NO DIA A DIA, COITADAS.
    MAS, TEMOS A FÉ, QUE NOS CONFORTA E AMPARA SEMPRE, TOMARA QUE ELAS CREIAM QUE NADA É POR ACASO E QUE O "PAI" ESTÁ ALI PARA CONFORTÁ-LAS.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilani,
      Toda a mãe, quando tudo parece sem saída, elas encontram forças não sei aonde, e conseguem dar a volta por cima. Acredito que com essas mães, pais e amigos, não será diferente.
      É preciso aguardar, mas tudo irá passar.

      Abraços.

      Excluir
  6. Eu nem consigo imaginar a dor dessas mães....gostei do final:
    Esquecer, jamais. Continuar vivendo, sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patrícia.

      As cicatrizes permanecerão na alma para sempre... Apesar disso a vida deve continuar o seu curso.

      Abraços.

      Excluir
  7. Oi, Nestor, todos sentimos pelas perdas, espero que sirva de alerta para que medidas efetivas sejam tomadas. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia,
      Essa tragédia desencadeou uma forte movimentação de fiscalização de casas noturnas e medidas estão sendo tomadas. Oxalá que alguns dias não caia no esquecimento.

      Abraço e ótima semana pela frente.

      Excluir
  8. Esta tragédia abalou o MUNDO todo e não há como ser indiferente diante de tamanha dor de quem perdeu seus entes queridos. Que a FÉ, ESPERANÇA e SERENIDADE sejam fontes de LUZ para estas famílias que passam por um momento dificílimo.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Malu, tudo tranquilo?

      Momento de dor, tais como esse, somente através da fé e da esperança, serão superados.

      Abraços.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.