Nosso Brasão - Parte II

"O nome de um homem não é como uma capa que lhe está sobre os ombros, pendente e que pode ser tirada ou arrancada a bel prazer, mas uma peça de vestuário perfeitamente adaptada, ou como a pele que cresceu junto com ele, ela não pode ser arrancada sem causar dor também ao homem." (Goethe 1749-1832).                    

 Este brasão pertence a família Alcará e suas variantes que são: Alcará, Alcara, Alcheri, Alcarese e Alcarotto. O brasão da Família está registrado no Amorialis Italiano, ou seja no livro de registros de armas. Foi concedido a uma família nobre, fidalga por quatro gerações da cidade de Bergamo de sobrenome Alcheri.
O nosso brasão é composto pelas seguintes partes: Escudo, Árvore Frutífera com Ursos, Elmo, Leões e os Esmaltes.


Escudo:
Conhecido também como arma defensiva.
Era o principal meio de proteção nas batalhas e guerras, desde os mais remotos tempos até a invenção da arma de fogo. Os escudos são divididos por partes conforme figura ao lado, sendo que os pontos 1 e 2 são os vitais e de honra de cada combatente.
As armas não são nobres por natureza, em um início, não são mais que a insígnia do titular. É obrigação deste titular"enobrece-las", isto é manifestar sua nobreza por seus atos, outorgando-lhes honra e glória a suas armas. O reconhecimento social e oficial deste caráter nobre ou não, vem para reconhecer uma nobreza que já tenha sido adquirida previamente.

Árvore frutífera com ursos: 
A parte frontal de nosso escudo apresenta este desenho, pelo fato de nossos ancestrais terem tido sucesso relevante na agricultura, por  possuirem grandes quantidades de terras e terem trasferidos os seus bens a seus sucessores, ao menos, por quatro gerações.
A árvore frutada simboliza firmeza e prosperidade.
Os ursos simbolizam a força, coragem, astúcia e poder.


O Elmo:
O elmo ou casco do brasão pode apresentar-se em diversas posições e formatos. De acordo com a sua posição pode-se inferir alguma informação sobre o seu portador.
O elmo dos imperadores e reis apresentam-se de frente, com a viseira aberta e sem grades (conforme figura ao lado) ou então obrigatoriamente com onze grades no sentido vertical. O metal utilizado é o ouro.
Os príncipes herdeiros, descendentes de imperadores ou reis, apresentam seus elmos semi-abertos. O metal utilizado é a prata.
Os altos dignatários, como os duques, usam o elmo com nove grades no metal prata. Os elmos dos marqueses, são semelhante aos dos duques, exceto pelo número de grades, totalizando sete e no metal prata.
Os condes e viscondes, apresentam seus elmos com três grades na cor prata bronzeada. O metal utilizado é o aço perfilado.

Observem que elmo de metal prata sobre o escudo da família Alcará está posicionado de perfil, olhando para a direita e com a viseira levantada (aberta). Para a heráldica, isso significa que o portador desse escudo pertencia a uma família de nobres (fidálgo), há pelo menos quatro gerações.

Os Leões:
Conforme os historiadores, o leão é uma das figuras mais empregadas na heráldica, sendo encontrado nos brasões de inúmera familias e nas armas de diversos países.
No campo do brasão, podem aparecer um ou mais leões, sendo que o número total não pode ser superior a dezesseis.
Nos brasões das famílias infamadas, assim classificadas pela prática condenável de seu dono, caso exista a figura de um leão, este é representado desprovido de cauda e dentes.
A presença dos leões afrontados no brasão de armas da família Alcará, insinua força, grandeza, coragem, e nobreza de condição. Também caracteriza domínio e proteção, condição que deve ter um superior sobre aquele que domina.

Os esmaltes:
Na representação dos brasões de armas são utilizados apenas dois tipos  de metais: O ouro e  prata e mais cinco tipos de esmaltes conforme figura acima.
Vou descrever aqui somente os que fazem parte de nosso brasão.
Metal ouro: Está presente no fundo de nosso escudo e nos leões. Nos escudos dos reis é chamado de sol, já em nosso escudo e da nobreza em geral recebe o nome de topázio. Aqueles que tem este metal no seu escudo estavam obrigados, na idade média, a fazer bens aos pobres e a defender seus senhores, lutando por eles até o final de suas forças.
Metal prata:  Está presente na figura do elmo. Em nosso brasão recebe o nome de lua. A prata está associada com a inocência e pureza, e aqueles que a tinham em seu brasão estavam obrigados a defender as donzelas e a amparar os órfãos.
Esmalte vermelho: Está presente nas frutas, é conhecido como marte nos escudos dos principes e em nosso escudo é chamado de rubi. Esse esmalte é associado com o valor e a interpidez e obrigava os seus portadores a socorrer os injustiçados e oprimidos.
Esmalte verde: Em nosso escudo está presente no solo, na árvore e ao redor do elmo. Para os príncipes e reis é chamado de vênus, em nosso brasão é referenciado  como esmeralda. Um brasão que continha esse esmalte obrigava o seu portador a socorrer os lavradores em geral, assim como aos órfãos e pobres oprimidos.
Esmalte preto: Em nosso escudo está presente na fugura dos ursos. Nos escudos dos reis recebe o nome de saturno, em nosso escudo e de toda a nobreza, recebe o nome de diamante. Aqueles que apresentavam esse esmalte em seus brasões estavam obrigados a socorrer as viúvas, os órfãos e todas as pessoas dedicadas às letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.