Mais e menos

Mais um inverno chegou aqui no Rio Grande do Sul. O vento tornou-se mais frio e menos suave, as noites mais longas e os dias mais curtos.
Por aqui, ainda podemos desfrutar das quatro estações do ano, até quando não sei, pois o aquecimento global é uma triste realidade, o desmatamento continua a passos largos e a reforma de nosso código florestal não passa de um jogo político e de interesses...
O ruim do inverno é ter que acordar cedo, é sair da cama, é o banheiro gelado, é ter que sair do banho quente e encarrar os desafios dos dias frios. Pessoalmente, não gosto desta estação, por mais que me agasalho, sinto um frio danado, principalmente nos pés. Porém, reconheço a sua importância para a natureza e sua magia para o ser humano.
A sensação que tenho, é que nos dias frios há mais silêncio, até os animais se calam, ficam preguiçosos, aconchegam-se uns aos outros ou procuram o melhor lugar ao sol. Há uma trégua na correria e barulho.

Com o frio, parece que tudo anda mais devagar. Nessa época, é normal que nosso ritmo diminui, precisamos reter energias para nos manter aquecidos. Energia é fundamental para enfrentar o frio e principalmente para colorir a vida. Em geral, o ser humano, possui mais do que necessita para ser feliz, no entanto, continua insistindo na desculpa de que não é feliz porque lhe falta alguma coisa. Tudo o que temos a mais, soma-se a menos, pois demanda tempo e energia para serem administrados. Bagunças demais, compromissos demais, livros demais, pressa demais, guardamos coisas demais ( olhe suas gavetas), roupas demais (olhe seu roupeiro), nos importamos demais com a vida dos outros... Há um excesso de preocupações e acumulo de "gorduras" em nossa vida que nos rouba uma energia preciosa.
O segredo do mais e menos, é escolher o essencial, é saber que você se basta sem precisar de um arsenal de coisas consumindo o seu tempo e sua energia, além do mais, muita coisa é só ruído e nem merece atenção.

Que tal olhar em seu roupeiro e doar aquele agasalho que para você não irá fazer nenhuma diferença, porém, muito na vida de alguém que precise?
Abraço.

10 comentários:

  1. E parece que está mesmo se instalando esse tal do inverno! Tomara não seja muito chuvoso, pois frio e chuva é uma dupla terrível. E doações as faço sempre! Não acumulo nada! abração,lindo findi! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi chica, que bom que você faz a sua parte!
      O ato de doar, além de proporcionar sorrisos a quem recebe, torna o doador mais livre e feliz.
      Bom final de semana!

      Excluir
  2. Costumo olhar o inverno como uma pausa de nós mesmos.
    Mas me preocupa é a população de rua; as vezes acredito que só Deus mesmo e ele dá o frio conforme o cobertor porque nem sei como há pessoas na rua que aguentam tanto frio.
    Isso me incomoda; a indiferença de algumas pessoas. E ver tanto cachorrinho agasalhado kkk nada contra os animais também adoro; mas há de se pensar nisso.
    Prazer em conhecer.
    Acasamadeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá que bom ver você por aqui! Prazer, seja bem-vindo!

      Não sei de onde você é, mas aqui no RS, em relação ao frio, a maior preocupação, além da população das ruas, está sendo voltada às novas levas de imigrantes haitianos e senegaleses que aqui chegam.

      Em relação aos animis, o homem descobriu que é mais lucrativo investir em animais do que no próprio homem. Existem mais clínicas veterinárias do que hospitais e postos de saúde. Um parto de uma cachorrinha pode chegar até R$ 3.000,00, enquanto que, um parto de uma pessoa sem poder aquisitivo é feito pelos bombeiros e geralmente nas ruas. Está ocorrendo uma inversão de valores, isso é preocupante.

      A indiferença é uma das piores mazelas que transforma o ser humano em geleira.
      Abraço.

      Excluir
  3. OI NESTOR!
    TAMBÉM NÃO GOSTO DO INVERNO, SINTO EXATAMENTE ASSIM COMO FALASTE, PARECE QUE TUDO ESTÁ MAIS DESACELERADO E TAMBÉM, SINTO MUITO FRIO.
    MAS, TEU POST ALÉM DE INTERESSANTE, NOS ALERTOU PARA A MANIA QUE TEMOS DE ACUMULAR COISA, PRINCIPALMENTE AGASALHOS, ENQUANTO TEM GENTE PASSANDO MUITO FRIO POR AI.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilani,

      Bem-vindo ao grupo dos que não gostam do inverno!
      Tudo o que acumulamos em demasia nos rouba energia e tempo. Além do mais a vida é simples, não precisa de tantas tralhas para seguir livre o seu curso.
      Bom final de semana!

      Excluir
  4. Olá Nestor,

    Posso imaginar o frio por aí. Belo Horizonte raramente faz frio de encapotar. Ainda bem, pois, como você, não sou chegada ao frio e costumo colocar até duas meias para aquecer os pés, de tanto que eles gelam.
    Concordo que mais é menos. Todo excesso traz mais trabalho e desgaste. Até no guarda roupa, como você salienta, pois roupas precisam ventilar e nunca conseguimos usar tudo que temos. Os modismos nos chamam e acabamos consumindo mais do que o necessário (falo das mulheres, claro, pois os homens são mais comedidos neste particular). Penso sempre nas pessoas que nem sequer tem o mínimo para sobreviver e ainda assim são felizes. O suficiente nos basta. Tudo além da necessidade só traz ônus.
    Não tenho problemas para doar. É algo que faço com prazer.

    Ótimo final de semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera,

      Em um país tão desigual, imagino que o caos seria muito maior se não houvessem pessoas voluntárias e dispostas a repartir.

      Não conheço BH, mas está no meu roteiro de viagens. Sua história antiga é maravilhosa.
      Abraço e boa semana.

      Excluir
  5. Lugares frios só são bons para um passeio (rss), onde aproveitamos o chocolate quente, o vinho, os trajes que, em meu entender, são mais belos que os de verão.
    Quando morava em São Paulo conheci dias bem frios, mas aqui em BH o clima é gostoso, mesmo no inverno. Raramente me encapoto .
    Sei que o foco principal de sua postagem é outro, as diferenças e as necessidades. Se observamos com o coração, percebemos que sempre temos algo que outros precisam e que não nos faz falta. O frio nos chama a atenção para isso, de forma mais gritante. Tenho prazer em doar, mas não o faço através de instituições. É tão bom dar algo e ver um sorriso! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marilene, como vai?

      Concordo, quem mais gosta de frio, por aqui, são os turistas. Eles tem a disposição os melhores vinhos, chocolates, farta gastronomia, lareiras... porém, quem enfrenta o dia-a-dia é complicado.

      Sempre temos o que oferecer, seja uma peça de roupa, um quilo de alimento, um abraço, um sorriso, um pouquinho de nosso tempo, pode fazer muita diferença na vida das pessoas.
      Bom feriado! Abraço.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.