Cuidados

Um novo mês... outubro rosa... que venham novas esperanças.
A vida sempre vai requer cuidados. Ela vai acontecendo, a partir do ritmo que vamos estabelecendo. É fundamental para a vida, a gente escolher nosso próprio jeito de viver. Ficar somando os dias não agrega nada e isso, nem sempre é viver. "Nossa vida é uma constante viagem... A paisagem muda, as pessoas mudam, as necessidades se transformam, mas o trem segue adiante". (Paulo Coelho).
Como é bom saber que viver é como se a gente estivesse fazendo uma longa viagem. Quantas pessoas encontramos; quantos encontros e desencontros; quantas paisagens ao longo do caminho; num determinado tempo, damos valor para determinadas coisas; lá adiante, aquilo que parecia valer a pena deixou de ser interessante... São as transformações que despertam na interioridade de cada ser, fazendo com que a vida siga em frente, sob o embalo do coração.

Há pessoas que vivem mais pela razão, outras pela emoção, onde tudo passa pelo crivo do coração. Os gregos diziam que o coração é a centralidade da vida, onde o pulsar da existência passa pelos movimentos cardíacos...
Acho o coração um tanto engraçado, vocês concordam? Ao longo da vida, quantas pessoas passam por ele? Entre centenas, ele escolhe uma ou duas para guardar para sempre. Quando se fala de amor; quem é a referência? O coração. Ele tem suas razões que até mesmo a própria razão desconhece. Às vezes se encolhe, outras vezes se agiganta. Às vezes acelera, outras vezes diminui o ritmo. Às vezes está triste, outras vezes, quase explode de alegrias, incita pensamentos, intensifica emoções...

Já é outubro, os dias passam e a vida vai fluindo. Nem sempre  há clareza quanto à direção tomada. Portanto, é preciso conhecer o coração que cada um carrega consigo. Uma revisão sempre faz bem e afinal, o coração pode se enganar. Um dia, após tantas oscilações, chegará a maturidade. Ai sim, o coração sem vaidades, provará a etapa serena da vida.
Abraços.

6 comentários:

  1. Que lindo te ler e refletir com tuas palavras! abração praino,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom fim de semana. Aproveite bem sua praia.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Linda a postagem, Nestor, ilustrada com o símbolo do movimento da luta contra o câncer de mama. Precisamos nos cuidar para que nosso corpo físico possa fazer a 'viagem' completa, dando ao nosso espírito a oportunidade de cumprir sua missão na íntegra. E haja coração para enfrentar tanta pressão, encontros e desencontros. Paulo Coelho tem razão, pois tudo se transforma durante a nossa passagem por esse mundo e a maior transformação ocorre em nós mesmos. Mudamos de rota, de paisagem e de valores. Aproveitemos cada fase de nossa vida, fazendo dela o melhor que pudermos e saboreando tudo de bom que ela nos traz. A 'viagem' parece longa, mas quando menos esperarmos o trem estará apitando para anunciar o nosso ponto final.
    Pois é, já é outubro e logo estaremos nos preparando para a festa santa do Natal. Parece assustador! rsrs.

    Abraço e ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera,

      Um símbolo fala mais do que palavras. Que cada mulher, ao passar por aqui, possa se conscientizar da importância da prevenção.
      Se o físico não está bem, tudo padece e nossa viagem parece monótona e cansativa.
      Natal!!!!!!! Gosto do Natal. As pessoas tornam-se mais solidárias e consequentemente mais felizes.
      Aproveite seu final de semana.

      Excluir
  4. O coração é meio levado, mas é sempre mocinho, eu acho. Gosto da forma como ele age, mas tem horas de querer dar-lhe uns cascudinhos, por atrair pra si quem não merece.
    Mas, viver é assim, arriscar, né?

    Texto lindo, Nestor.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Milene,

      Também acho o coração meio levado. Às vezes ele age contra a nossa vontade, parece nos ignorar. Muitas vezes está certo, outras vezes, nos mete em cada encrenca...
      Cuide bem de seu coração.
      Abraços.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.