Preço e valor

No segmento onde trabalho, tenho comigo algumas tabelas de preços. Assim como uma relação dos melhores fornecedores no quesito preço. Hoje em dia é possível a gente saber o preço de quase tudo. Sei quanto vale a ida ao supermercado, a ida à fruteira, a mensalidade da escola do filho, o preço da gasolina, uma viagem de férias e assim por diante. Saber qual é o melhor preço é quase uma condição para viver e conviver. Impressionante como o mundo dos negócios é hábil em colocar e alterar preços. Impressionante também como muita gente sabe o preço de quase tudo e não sabem o valor de quase nada.

Eu sempre procuro conciliar preço e valor. Sei o preço de determinado brinquedo para meu filho e sei também o valor de brincar com ele. Há pais que oferecem inúmeros brinquedos e esquecem de brincar com seus filhos. Sei o preço do presente de aniversário (dezembro) de minha senhorita e sei o valor de conviver ao seu lado. Sei o preço de determinado bem que tenho e sei o valor que ele representa para mim.

Estou para receber um livro, adoro receber livros. É possível que eu saiba o seu preço. Porém, o valor de tal gesto é incalculável. São pequenos gestos que tornam as pessoas incomparáveis.
Pessoas incomparáveis, de grande valor ( Madre Tersa, Gandhi, Chico Xavier, papa Francisco...) têm maneiras simples de ser. O problema é que para muitos olhos, quase sempre as maneiras simples são consideradas de pouco valor.
Se você observar, o que é mais significativo não tem preço. Simplesmente tem valor. Quanto vale uma vida? E o valor de uma amizade? O valor da saúde, o valor da paz? O preço favorece as trocas; o valor inspira o inatingível.
Muitos necessitam perder alguém para saber qual o valor que tinha. Outros, no entanto, intensificam as relações e os gestos pois sabem do imenso valor.
Não precisamos saber, exatamente o preço de tudo. Mas precisamos saber o valor de tudo aquilo que o dinheiro não compra.

Bom fim de semana!

8 comentários:

  1. Perfeitas tuas colocações e reflexões! Certas e verdadeiras.Há diferença entre valor e preço;;;abraços,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compreender que tudo o que tem valor não tem preço é intensificar laços.
      Abraço.

      Excluir
  2. Grande verdade, Nestor.
    É como dizem: 'Nem tudo tem preço'. O que não tem preço é exatamente o que tem valor para nós e que é inestimável em termos de moeda.
    Suas considerações são excelentes.

    Ótimo final de semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera,
      São poucos os que conseguem distinguir preço e valor. Geralmente valorizamos tudo o que tem um preço elevado, consequentemente pagamos um alto preço pelo que não tem valor.
      Abraço.

      Excluir
  3. Disse muito bem são pequenos gestos que tornam as pessoas incomparáveis.
    Há tempos que trago isso para minha vida, um belo post parabéns!!!

    Tenho o prazer de convida-lo para participar da 2ª Edição Xícara de Ouro promovido pelo Café entre amigos, onde os leitores escolherão os melhores blogs de 2013.
    Para saber mais detalhes basta conferir o link abaixo, ficaria muito feliz com sua participação.
    http://www.cafeentreamigos.com/2013/11/2-edicao-xicara-de-ouro-eleicao-dos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo convite, Patricia.

      Pequenos gestos tornam as pessoas incomparáveis e de valor incalculável.
      Abraço.

      Excluir
  4. Querido Nestor, muito bom seu texto, suas considerações são perfeitas.
    O valor é invisivel e intocável, o valor está na simplicidade, no sentimento, no ser e no todo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sissym,
      Poucas pessoas conseguem ver o invisível. Poucas pessoas conseguem ser simples. A regra geral é ir atrás de tudo o que tem um preço elevado e o resultado a gente já sabe.
      Abraço.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.