A saga do João

Desconheço outro pássaro mais persistente que esse casal de João de barro. O seu ninho só foi concluído definitivamente, após mudança de local e, em uma terceira tentativa. Acompanhei toda a saga dos pássaros. As  duas primeiras tentativas foram frustradas porque eles tentaram construir sua casa em cima da fiação elétrica que passa em frente da minha casa. Venho a chuva, sopraram os ventos e a obra, por duas vezes, venho parar na calçada. Nada que um jato de água não resolvesse. Após duas tentativas sem sucesso, eles resolveram mudar de local. Vieram para dentro do pátio e construíram sua casa em cima do poste da minha distribuição elétrica. A obra levou em torno de três a quatro dias. A movimentação em prol da construção era um tanto discreta, porém decidida. Houve trabalho em parceria e sem a necessidade de um projeto arquitetônico. Eles edificaram harmoniosamente o local, onde hoje, seus filhotes recebem seus devidos cuidados e proteção. Algo um tanto natural, mas de uma perfeição ímpar. Belas lições que a natureza nos proporciona. Um aprendizado sem precedente, um espetáculo distante dos arranjos humanos.
Em breve os filhotes terão que abandonar o ninho. Certamente alguns gostariam de permanecer um tempo a mais. Em nada adiantará seus desejos. Se não for por vontade própria, os pais darão um jeito de provocar um voo rasante e depois, mais alto e mais alto ainda. O ciclo de total dependência será encerrado. Um novo tempo se impõem. É hora de construir uma trajetória própria, onde a autonomia será testada e a criatividade multiplicada.


Assim como os pássaros levantam voo, enxames de abelhas se despedem do antigo lar, as pétalas caem, os frutos surgem e o sol se põe, a vida humana também se transforma. Os filhos crescem e saem de casa, os cabelos embranquecem e o vigor físico diminui. Mesmo sendo natural, novas etapas da vida exigem adaptação e conscientização. O preparar-se para adentrar outros espaços e outros modos de vida,  é uma tarefa que se impõem a todos.

Perante a constatação das marcas do tempo, é natural que uma certa nostalgia parece nos perpassar as entranhas. Por mais naturais que sejam, provocam crises. Saber lidar com esses sentimentos é tarefa árdua. No entanto, no processo de humanização as melhorias só acontecem se a maturidade sustentar um posicionamento sereno e altruísta. Creio que a postura ideal é admitirmos nossas transformações e ir abraçando o novo que vai chegando.
Aprendi que nessa vida tudo termina e tudo começa. Lágrimas e sorrisos se intercalam. Perdas podem ser substituídas por outros ganhos, bem diferentes do imaginado e que na medida em que houver um sabor agregado à existência, recomeçar pode ser um jeito criativo de viver e conviver.
Abraço.

15 comentários:

  1. Lindíssimo texto esse e é realmente assim. Nas famílias chega essa hora e dói, mas é preciso deixar voar! LINDO! abraços,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi chica,
      Filhos significam a continuação de nossa imortalidade, no entanto é preciso deixar trilharem sua própria caminhada.
      Abraço.

      Excluir
  2. Olá Nestor,

    Seu texto está lindo e perfeito. A vida é movimento e todos precisamos aceitar e procurar nos adaptar às mudanças impostas por cada ciclo. Fácil não é mesmo, mas acabamos aprendendo e até nos surpreendendo com os resultados.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vera,
      Compreender que somos seres em mutação é fundamental para encontrar certas respostas que nos inquietam no transcorrer da vida e do tempo.
      Abraço.

      Excluir
  3. Muito interessante seu texto, bastante explicativo e o importante de td é a comparação que faz com a nossa vida de um modo geral...Grande verdade....td no mundo muda e as mudanças nos trás grandes aprendizados...Parabéns Nestor, foi um prazer conhecer um pouco do que escreve.......Um abraço Síglia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Síglia, tudo bem?
      Geralmente em meus textos, procuro comparar exemplos que acontecem com a vida. Acredito que fica mais fácil a compreensão. Diante das mudanças inevitáveis, há que se ter um olhar atento afim de poder tirar proveito a nosso favor.
      Obrigado por seu comentário.
      Abraço.

      Excluir
  4. Sou fã do João de Barro acho um pássaro incrível.
    Qto ao texto nem sei o que dizer gostei demais e me fez refletir sobre muitas coisas, inclusive momentos que estou passando agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patrícia, tudo bem?
      Fico feliz quando pessoas conseguem tirar algo de bom do que é encontrado no mundo virtual. Acredito ser essa a missão de todos. Partilhar com quem quer que seja seus conhecimentos.
      Abraço e iluminada semana.

      Excluir
  5. Oi, nestor, como vai?
    Primeiro quero agradecer os livros, já recebi e fiz uma pequena citação no post de hoje. Muito obrigada,já estou no meio da leitura e assim que enviar o outro exemplar no projeto, te aviso.
    Nestor, eu adoro observar os ninhos de joão-de-barro e a valentia com que eles defendem seu espaço. Precisamos aprender muito com a natureza. Ela nos permite entender que não podemos controlar tudo e também, nunca podemos desistir de recomeçar.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia,
      Quando decidi publicar esse livro, a ideia era justamente essa; um livro bem objetivo e direto, de fácil compreensão e não muito extenso ou cansativo. Espero que goste.
      Até o joão-de-barro sabe que após algumas tentativas sem sucesso é preciso mudar de direção nossos objetivos. Essa é uma das grandes lições a aprender.
      Abraço.

      Excluir
  6. Olá Nestor,

    Passei para agradecer sua visita e comentário e desejar a você um ótimo dia e excelente semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Que baita lição de vida, heim? A gente aprende mais observando a natureza do que a vida alheia, ouso dizer. E, sim, uma hora ou outra os filhotes terão que sair do ninho pra construir o próprio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suzi! Que bom ver você por aqui!

      A natureza é sábia em tudo o que faz.
      É uma grande verdade, infelizmente há um grande número de pessoas que perdem seu precioso tempo, bisbilhotando a vida alheia.
      Filhos são criados para o mundo, um dia terão que fazer sua própria história.
      Obrigado pela visita e comentário.

      Excluir
  8. Ola entrei para dar uma espiadinha e gostei muito de ler sobre o casal de João de Barro.Meu grande abraço.SU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Suzane! Tudo bem?

      Grato pela visita, volte sempre quando quiser.
      Abraço.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.