Dia da alimentação

Orquidário pessoal
Temos o que comemorar nesse dia?

Não podemos negar que a ciência e a tecnologia visualizam rapidamente novos horizontes. Ninguém poderá reter a velocidade da criatividade. Recentemente pesquisadores da Universidade Livre de Berlim, desenvolveram o carro autônomo, que dirige sozinho. Segundo explica Tinosch Ganjinesh, um dos responsáveis pelo projeto, tal carro é dotado de scanners a laser que medem a distância, combinados com sensores que medem a velocidade de outros carros e câmaras que observam a situação em frente, como pedestres e sinais de trânsitos. Tais informações chegam ao porta-malas, onde são processadas e combinadas num computador central, que envia os comandos de velocidade para o motor. É assim que o carro consegue se mover sozinho. A pesquisa vai mais longe, afirma o pesquisador; a próxima tecnologia consiste em dirigir o carro com a força do pensamento. Sensores na cabeça do motorista interpretarão os comandos vindos do cérebro e o carro andará. O presente está cada vez mais com a cara do futuro.

Que bom que temos cientistas e cérebros bem dotados que avançam em direção ao ilimitado. Acredito que parâmetros deixarão de existir, conquistas surpreenderão e facilidades estarão mais próximas de todos. É nesse cenário que nossa vida está se movimentando. Não há que temer o futuro, pelo contrário, a esperança deve perpassar todas as instâncias.
Por outro lado, um problema milenar, continua vitimando milhares de pessoas; o drama da fome. Acabei de ler uma reportagem local, aqui onde resido, cidade rica e cara, onde 5% da população vivem a baixo da linha da pobreza e passam fome. Esse problema da fome já não deveria ter sido solucionado? Incrível como os dramas humanos não preocupam os cientistas. Os carros andam sem motoristas. A fraternidade universal continua uma utopia. Bendito seja o avanço da ciência! Bom seria se, ao mesmo tempo, a dignidade humana fosse visível em todos os recantos deste universo.
Enquanto aguardamos o carro dirigível com a força do pensamento, quem sabe, a solidariedade se intensifique no coração de muitos que estão unicamente extasiados pelas descobertas e aperfeiçoamento dos meios. Pessoas do bem aspiram uma vida marcada pela humildade.  Se necessário for, caminha-se quilômetros, desde que não falte a  paz e alegria. Mãos que se entrelaçam, olhares que se encontram, são verdadeiras descobertas para quem não aceita ficar à margem da felicidade.
Abraço.

10 comentários:

  1. Em meio à tantas descobertas, avanços tecnológicos vivemos, mas ainda preferimos valorizar o verdadeiro amor, aquele que une famílias e nações...abraços,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi chica,
      Valorizar o verdadeiro amor, as famílias e o ser humano em geral, é passo certo para um futuro feliz.
      Abraço.

      Excluir
  2. Oi, Nestor! Ainda agora li sobre a questão da fome também no blog da Sissym... é mesmo inaceitável que, com a velocidade dos avanços tecnológicos, ainda hajam pessoas em situações tão precárias de vida.
    As pessoas se eximem de ajudar e interagir umas com as outras. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,
      Alimento nós temos, Bia. Muito se estraga nos estoques do governo. O que falta é políticas públicas, compromisso com o semelhante. Falta solidariedade, um gesto tão simples, capaz de transformar uma nação.
      Abraço.

      Excluir
  3. Nestor, venho agradecer seu comentario inteligente e sensível.
    Concordo com suas palavras.

    Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  4. Olá Nestor,

    Na verdade, falta empenho das classes políticas no sentido de cuidar da miséria e da fome. Se o governo quisesse, teria como minimizar a questão deste povo sofrido. Resta ao cidadão comum, como tem acontecido, fazer a parte do governo. O povo em si é muito solidário e é sempre ele que cria oportunidades de ajuda.
    Não sou contra os grandes inventos que trazem progresso ao mundo, mas contra o excesso de recursos empregados para tal fim em detrimento das reais necessidades do País.

    Ótimo final de semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera,
      Não somos uma Nação Soberana, onde todos deveriam ser iguais. Por trás de toda a conjuntura política, há grandes conglomerados que impõem seus interesses, e não raras vezes subornam políticos da má índole.
      Abraço.

      Excluir
  5. Creio que existam projetos magníficos que se perdem quando postos em prática por conta das politicagens. A corrupção é tamanha que não se chega m as execuções as grandes ideias.
    Uma pena. O Brasil é riquíssimo em recursos. A miséria já deveria ter sido erradicada faz tempo, mas... sem a miséria muitos políticos deixariam de se eleger...

    ResponderExcluir
  6. Oi Malu,
    Projetos para acabar com a fome, com a miséria, com a seca, e tantos outros problemas, têm e bastante, assim como recursos. Porém esbarramos na burocracia, nas leis e principalmente na falta de vontade de nossos representantes políticos. Infelizmente é mais viável e lucrativo ser corrupto do que ser honesto.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.