Pensar e agir

Você pensa antes de agir ou age antes de pensar?
Não é raro escutarmos ou até mesmo presenciarmos, por pequenas coisas, cenas de violência no trânsito, pais gritando ou brigando com seus filhos, chefes estressados com seus funcionários... 
A tensão que alimentamos em nós é a responsável pelos maiores erros cometidos em nossa vida. Falamos palavras indevidas, cometemos gestos diante das pessoas que amamos que jamais deveríamos expressar.
O fato de vivermos debaixo da ditadura de respostas imediatas, do tudo é pra ontem, da necessidade compulsiva de reagir quando pressionados, faz com que cometemos muitos erros, alguns muito graves.
O dito popular de contar até dez antes de reagir, não funciona ou é considerado imaturo. As pessoas estão explodindo por qualquer sintoma de pressão ou contrariedade.
Precisamos reaprender que pensar antes de reagir é uma das ferramentas mais nobres do ser humano nas relações interpessoais.

Uma das ferramentas que uso, em momentos de tensão é o silêncio, considerado a oração dos sábios. O silêncio preserva a sabedoria quando somos ameaçados, criticados, injustiçados. Silenciar não é se aguentar para não explodir, o silêncio é o respeito, pela própria inteligência e o propulsor da paz.
Cada vez mais as pessoas estão perdendo o prazer de silenciar, de se interiorizar, refletir, meditar. Tornam-se escravos do binômio bateu-levou.
Não estão com nada, essas pessoas que batem no peito e dizem não levar desaforo pra casa. Simplesmente não pensam nas consequências de seus atos. Muito menos quem se orgulha em vomitar para fora tudo o que pensa, machucam mais quem deveria ser amado.
Meu estilo de vida combina mais com pessoas simples, até mesmo sem cultura acadêmica, porém, tolerante, do que com seres de ilibada cultura saturada de radicalismo, estrelismo e egocentrismo.

Finalizando, sabedoria e tolerância não se aprendem nos bancos escolares, mas no traçado da existência. Prefiro as pessoas lentas no pensar do que as rápidas em machucar.

15 comentários:

  1. Muito bom e o silêncio pode ajudar mesmo e também prefiro como tu, as pessoas que não são tão ágeis em machucar! abraços,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi chica,

      Em situações conflitantes, o silêncio é a melhor resposta.
      Abraço.

      Excluir
  2. Já agi muito impensadamente. Hoje procuro deixar as coisas esfriarem, rever novas possibilidades e depois dou o parecer, mas isto a gente consegue só depois de muita cabeçada... coisas da idade!!!
    Hoje sou mais bem resolvida e serena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Malu,

      Todos nós temos a fase de agir antes de pensar. Depois da cabeçada a gente se dá conta da "burrada" que cometeu. Cabe aprender com a lição.
      Abraço.

      Excluir
  3. Voce tem toda razão no que diz e aconselha.

    Estourar para muitos é tão facil!
    Tem gente que sequer sabe reconhecer que passou dos limites, que estragou tudo por ser nervosinho.
    Eu não sou a santa, mas me controlo demais!
    O silencio é a melhor resposta, é o melhor caminho, é sabedoria.
    Precisa ser exercitado.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem, Sissym?

      Até mesmo os santos tiveram seus momentos de explosão. Erros e acertos fazem parte da existência humana. O que não deveria fazer parte do traçado humano é a falta de humildade em reconhecer seus erros e pedir desculpas.
      Abraço.

      Excluir

  4. Olá Nestor,

    De fato, o silêncio e a tolerância são as armas de quem pensa. Reagir instintivamente pode causar sequelas dolorosas em pessoas queridas e até levar a situações extremas e irreparáveis.
    Também prefiro o silêncio a proferir palavras que possam magoar ou ferir.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai, Vera?

      O grande problema é que a sociedade criou o conceito de "quem cala, consente". Se eu silenciar, estarei assumindo a culpa. Está errado isso. O ato de silenciar, em situações conflitantes, nada mais é do que uma atitude inteligente e preventiva de danos físicos e emocionais.
      Abraço.

      Excluir
  5. OI NESTOR!
    SILENCIAR EM MOMENTOS DE TENÇÃO, COM CERTEZA É O MELHOR CAMINHO, COM ESTA ATITUDE, PODEMOS DAR A DEIXA PARA QUE O OUTRO SE DÊ CONTA DE ESTAR PASSANDO DOS LIMITES.
    MUITO BOM TEU TEXTO.
    BOM TERES IDO NO "SÓ PRA DIZER".
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilani,

      Inúmeras pessoas, não se dão por conta que, ao silenciar em momentos conflitantes, estão devolvendo o problema ao oponente. O silêncio faz pensar.

      Abraço.

      Excluir
  6. Ah, eu também não curto isso de arrogância e soberba não. E pavio curto é coisa que serve pra pessoa desabafar se está injuriada, mas,e depois? Depois é que são elas.

    Abraços, Nestor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Milene,

      Creio que arrogância e soberba não combinam com ninguém. Infelizmente, há pessoas assim e extremamente negativas e pavio curto. Diante dessas pessoas, a melhor resposta é a nossa postura firme e coerente naquilo que acreditamos ser certo, nem que isso seja o silêncio.

      Abraço.

      Excluir

  7. Olá Nestor,

    Passo para agradecer sua gentil visita e desejar a você e família um excelente final de semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Nestor, como vai? Essa é uma questão que aprendo mais a cada dia. No impulso corremos muitos riscos de fazer bobagem...hoje, quando pinta a dúvida sobre o impacto do que eu possa falar (e como falar) pode causar, opto por ficar quieta ou falar sobre assuntos superficiais até ter certeza sobre o que deve ser dito.
    Aprender a silenciar é uma atitude que tem sido trabalhada em sala de aula, as crianças estão muito reativas (reflexo de casa) e o silêncio as deixa mais calmas.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia,

      São raras as pessoas que frente a conflitos, conseguem uma postura semelhante a sua. A maioria tende a revidar.
      Fico feliz por saber que crianças estão aprendendo a silenciar. É no silêncio que encontramos as melhores respostas.
      Abraço.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.