Precisamos de novas vidas?

Orquidário pessoal
Para inicio de conversa: Como estamos cuidando da vida?
Seguidamente os noticiários dão conta de que renomados cientistas avançaram em suas pesquisas, na tentativa de desvendar se há vida em outros planetas. 
Parabéns à ciência que busca identificar o indecifrável e desmistificar o mistério que nos encanta e inquieta. Hipóteses, comparações, deduções e suposições perpassam nossos cérebros debruçados na busca por evidências. Quem não conhece a história do ET?
É fantástico viver a dinâmica de descobertas. A sensação que se tem, é de que novos horizontes estão sempre se apresentando, impulsionando a esperança. 
Se tudo fosse conhecido, reinaria a monotonia, não é mesmo?
Não me resta dúvida alguma sobre a importância de se fazer experimentos para encontrar novas descobertas. Também não me resta dúvida alguma de que o cuidado com o meio onde o humano está inserido não pode ficar distante de nossos olhos.

Orquidário pessoal
Enquanto são intensificadas as buscas por sinais de vida para além do planeta terra, os habitantes, assinalados com a categoria de espécie humana, ou ainda, espécie inteligente, parecem se distanciar do entendimento e do cuidado para com a vida.
O que restou da Rio+20? O que é feito com o meio ambiente? O ar continua sendo poluído, a água continua sendo contaminada, florestas derrubadas... Temos dificuldade de lidar até com o próprio lixo que produzimos. O nosso planeta terra, ainda cheio de vida está sendo tratado como se no amanhã não houvesse mais habitantes. E nos intitulamos como seres inteligentes e espertos.
Se o olhar for voltado para o semelhante, é mais assustador ainda: crianças e idosos abandonados, eutanásia, aborto, fome, falta de acesso a bens básicos... Com urgência, novas atitudes são esperadas. A vida sempre será o bem maior e cuidá-la é um simples gesto de amor.
Que continuem os experimentos científicos visando à existência de vida em outros planetas, sem descuidar  e amar a vida que está em nós e em todas as espécies da mãe terra. Afinal, não existe nada mais fantástico do que a vida.
Abraço.

13 comentários:


  1. Olá Nestor,

    Um texto bem oportuno, principalmente quando se celebra o Dia Internacional do Meio Ambiente.
    Também não sou contra pesquisas que visem progresso e novas descobertas. Contudo, há tanto a ser realizado em prol da vida em nosso planeta que não se justifica explorar novos tipos de vida, com gastos estrondosos, que poderiam estar direcionados para a saúde e a educação.
    E cuidar do meio ambiente é dever de cada um de nós, para o nosso próprio bem e o das futuras gerações.

    Bonita a ilustração com o seu orquidário.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera,

      Pois é, o Dia Internacional do Meio Ambiente, chegou, passou e, praticamente quase ninguém ficou sabendo ou nem sabiam. Agora, se uma 'celebridade' se separa ou se um jogador é vendido, falta espaço nos jornais e mídias afins.

      Há uma enorme diversidade de vida em nosso planeta, e tantas outras não catalogadas, que se fossemos cuidar como deveria, não haveria tempo para procurar outras espécies de vida fora do planeta terra.

      Conforme minhas orquídeas vão se apresentando, apresento a vocês.
      Abraço.

      Excluir
  2. É que se preocupa tanto em se aprimorar a vida, deixá-la nos contornos da perfeição, no futuro, que o presente fica assim, descuidado, entregue praticamente ao acaso.

    E a sensação é de o ato de acordar pode ser tarde demais.

    Abraços, Nestor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem verdade, Milene, muito se acredita no futuro que acaba-se esquecendo de cuidar do presente.
      Para muitas espécies extintas da fauna e flora, já é tarde demais.

      Abraço.

      Excluir
  3. Com saudade venho desejar um Domingo na paz de Jesus.
    Um encontro de carinho para desejar um lindo Dia,
    Beijos no coração carinhosamente ,Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom vê-la por aqui Evanir!

      Excelente semana para você.
      Abraço.

      Excluir
  4. Nestor, grata pela sua atenção. Logo estarei passeando pelas páginas dos amigos! Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre será bem-vindo por aqui, Malu.

      Abraço.

      Excluir
  5. Qualquer coisa pode ser válida, desde que saibamos preservar a existente...abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O grande desafio que precisamos encarar primeiro, é salvar o que ainda existe.

      São pífias as iniciativas, nesse sentido.

      Abraço.

      Excluir

  6. Obrigada pelo carinho da visita, Nestor.
    Tenha um dia excelente.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Nestor,

    Ontem conversei muito com uma senhora de quase 90 anos, memória OTIMA! Comentei como os anos que ela viveu pôde ver grandes transformações e acontecimentos significativos do que os anos recentes. Um dos fatos mais marcantes para ela foi a 2a guerra e acredita que uma guerra hoje seria incontestavelmente pior. Em poucos minutos milhoes de vidas poderão morrer e outros serem escravizados.

    Pois é, deveríamos procurar novas vidas fora deste planeta para sobrevivermos ou tambem um dia terminar com elas?!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sissym,

      Certamente o potencial bélico de hoje, vai muito além de cavalos, lanças e espadas. Consequentemente, a destruição é catastrófica.

      A ambição do ser humano é tão grande, que é possível que se procure vidas além da terra, para exterminar. Seria uma prova de nossa bravura, o que não passa de uma grande porcaria...

      Resta-nos saber se não estamos sendo procurados ou vigiados...
      Abraço.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.