Humor


Hoje acordei com a veia cômica um tanto solta, deve ser influência da primavera, desses dias ensolarados e de um e-mail que acabei de ler.
Há certas situações e ocasiões em que rir é o melhor remédio. Além de fazer bem para a alma e o corpo, dizem os entendidos do riso, que duzentas gargalhas equivalem a dez minutos de caminhada. (cuidado rir de mais pode causar lágrimas no olhos, e em certos casos xixi na roupa).
Mas não é fácil achar graça em meio a tanta desgraça por aí. Sofremos no trânsito, medo da violência, injustiça por todos os lados, o horário político... 
Mas temos uma saída para nos alegrar. Os programas brasileiros de humor. Gente, são de amargar. Sábado de noite assisti um inteirinho e não consegui esbanjar um mísero sorriso. Alguns programas, mais constrangem do que divertem. 

Vamos ao e-mail que recebi, quem sabe você possa rir um pouquinho.
Trata-se de uma mulher incomodada com o seu próprio sobrenome, que solicita ao poder competente sua exclusão.

Petição inicial: "Eu, Maria José Pau, gostaria de saber da possibilidade de se abolir o sobrenome Pau, já que a presença dele me tem deixado embaraçada em várias situações. Desde já agradeço a atenção e peço deferimento, Maria José Pau."

Segue a resposta do magistrado: "Cara Senhora Pau: Sobre a sua solicitação de remoção do Pau, gostaria de lhe dizer que a nova legislação a permite, mas o processo é complicado e moroso. Se o Pau tiver sido adquirido após o casamento, a remoção é mais fácil, pois, a final de contas, ninguém é obrigado a usar o do cônjuge se não quiser. Se Pau for de seu pai, torna-se mais difícil, pois é o de família e vem sendo utilizado há várias gerações. Se a senhora tiver irmãos, irmãs, a remoção do Pau, torná-la-ia diferente do restante da família. Uma opção viável, seria a troca da ordem dos nomes, assim o Pau ficaria escondidinho, ou seja: colocando o Pau na frente de Maria e atrás de José, seu nome poderia ser assinado como Maria P. José. A nossa opinião é de que o preconceito a esse nome já acabou há muito tempo e, visto que a senhora já usou Pau por muito tempo, não custa nada usá-lo um pouco mais.  Eu mesmo possuo Pinto, sempre o usei e muitas poucas vezes ele me causou embaraços."
Atenciosamente, Geraldo da Silva Pinto Soares. 
Desembargador do Tribunal de Justiça /DF.

A propósito amigo(a), qual é o seu sobrenome?


10 comentários:

  1. rsssssss...Esse email é legal mesmo.Quanto ao horário político,desligo! Chega de bobagens!

    abração,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi chica, gostei de sua praticidade em relação ao horário político.
      A pessoa que me enviou esse e-mail, jura que se trata de um caso real, dá para acreditar numa coisa dessa?
      Abraços.

      Excluir
  2. Sério que duzentas gargalhadas surtem efeito de exercício físico? Eu que os odeio, os exercícios, vou praticar mais um pouco de risadaria... Isso sim eu adoro.

    Ai, menino. Tadinha da Senhora Pau. Deve ser extremamente embaraçoso carregar um peso desses no registro civil. Ri muito!

    Beijo, Nestor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Milene, conforme estudos publicados pelas Universidade de Harvard e Cambridge, uma boa gargalhada é um "mini-workout, um pequeno exercício físico. 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida, baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e os anticorpos.

      A senhora Pau vai fazer muita gente emagrecer.
      Abraços.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Oi Patrícia, situação um pouco complicada dessa senhora.

      Abraços.

      Excluir
  4. Hahaha que azar!

    O Pau encontrou justo um Pinto!

    Abraços, Nestor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk se não fosse o desembargador Pinto, o problema da senhora Pau, provavelmente seria resolvido.
      Falta de sorte mesmo.
      Abraços.

      Excluir

  5. Olá Nestor,

    Também recebi este email há muito tempo e também ri demais da presença de espírito deste Desembargador.
    Realmente, não se vê mais programas humorísticos engraçados.
    Os mais antigos ainda faziam rir, mas os atuais nos levam ao desalento de tanta bobeira.
    Mas rir ainda é o melhor remédio para todos os males. Então,
    vamos sorrir muito e gargalhar muito.

    Ótimo feriado.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera,
      O sorrir além de fazer bem para a alma e o corpo, revela nosso estado de espírito.
      É a chave que pode abrir muitas portas.

      Abraços e bom feriado.

      Excluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.