Podem rir

Olá, podem rir, amigos, também dou gargalhadas quando olho meus retratos antigos.  Eu sou do tempo em que se falava retrato e se levava aquele rolo para revelar. Depois de esperar alguns dias, vinha a surpresa, tudo era mais divertido, e tinham cada flagrantes... O moço da foto com a bandeira do Brasil, sou eu, em meu primeiro desfile cívico de sete de setembro, isso na primeira série do primeiro grau, há um bom tempo atrás. A escola já não existe mais, mas as lembranças continuam vivas na memória e no álbum de fotografias.
Com o advento da câmara digital, parece-me que as fotos perderam sua originalidade. Hoje temos a chance de planejar nossas fotos, ou seja, todo o mundo consegue se sair bem na foto. Saiu ruim? Apaga. Olhos vermelhos? Faz outra, Não gostou? Tira de novo.

Como era diferente quando a gente não podia decidir se ficava ou não ficava bem na foto. Depois do click, não tinha como ver nem retocar, era o que se era e pronto.
No meu tempo, os retratos eram colocados em álbuns de fotos de papel, ou em pequenas caixas guardadas em gavetas. Hoje em dia, são armazenados em aquivos virtuais. Doido isso, né?
Usamos a tecnologia para embelezar nossas fotos, todo e qualquer sinal de imperfeição é recortado, não é mesmo?
O cabelo fora de lugar, a roupa desajeitada, aquele sorriso meio sem jeito e que você não gostou, são lembranças únicas e autênticas daquele momento. Não permita que isso se acabe para sempre.
A vida da gente é meio parecida com uma foto de papel, sem retoques, sem truques, o que foi torto, ficou torto, o que foi ruim, ficou ruim e o que foi bonito, ficou bonito para sempre, sem nenhum arrependimento e nenhum remendo.

8 comentários:

  1. Oi, Nestor, adorei seu post! A roupa das meninas lembra muito a que eu usava no colegial, hahaha. Adoro fotos e gosto de poder senti-las nas mãos, como se estivéssemos segurando um pedacinho do tempo perdido no espaço...Está certo que com a tecnologia eu, que tenho olhos azuis, nunca mais saí igual a um coelho, hahaha, mas tem toda a razão: a perfeição está no que somos (ainda que imperfeitos), não nos retoques. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi Bia,
    O bom de olhar as fotos impressas antes da máquina digital, é que elas são totalmente originais. Tem algumas que a gente faz questão de esconder...
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Olá nestor, que postagem deliciosa, adorei !

    Também sou deste tempo, minha mãe adorava tirar fotos de tudo e era aquela ansiedade para saber como ficariam, mas primeiro tínhamos que levar o rolinho para revelar, esperar... depois colocávamos, como disse, nos álbuns, alguns com adesivos para proteger as páginas, outros eram só plásticos simples, muitos enfeitados ou os que ganhávamos da loja na revelação, bem simples.... que gostoso ! E não tinha esta de ajeitar, clarear ou escurecer, apagar isso ou aquilo e era uma tristeza quando perdíamos alguma foto etc mas também era uma alegria só quando ficavam boas !!! desfilei muito em 7 de setembro, era um grande evento na minha cidade !!
    Gostei da comparação que fez com a vida, realmente nisso não há tecnologia que mexa, nela continuamos seguindo errando, acertando, sorrindo e chorando, mas depende exclusivamente de nós se a imagem vai ser bonita ou a certa :) que bom , acredito que isso nos leva ao crescimento e a evolução ! E faz tudo ser especial e único !

    Grande abraço e um ótimo restinho de semana ! :D

    ResponderExcluir
  4. Oi Samanta,
    A vida é isso aí, uma fotografia antiga, sem retoques ou truques, totalmente original. Temos a liberdade de mascará-la, transformá-la... mas não vale a pena. O original sempre terá o seu valor.
    Obrigado pela presença.
    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Hola Nestor, es grata la lectura, tienes interesante espacio.
    un saludo desde Valencia.

    ResponderExcluir
  6. Olá Ricardo, é muito bom receber sua visita e seu comentário aqui em meu espaço! Seja sempre bem-vindo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Oi Nestor agora me deu saudade do meu tempo de escola,Amei o texto,
    Sabe sou filha e irmã de fotografo,e é como você diz ,hoje na fotografia se consegue mudar muito mesmo...
    Qdo trabalhava com meu pai era possível fazer alguns retoques na foto preto e branco ou no filme (aquele rolo para revelar)também já colori as fotos qdo não existia fotos coloridas...faz tempo....rsrs
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Selma, que bom que passou por aqui!
    Pelo jeito temos uma expert em fotografias. É como dizem: "Filho de peixe, peixinho é."
    Abraços.

    ResponderExcluir

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.