Semana Farroupilha

A todos os peões e prendas que "cavalgam" por aqui na blogosfera vai o meu buenas tchê!
Peço licença a todos, hoje quero falar de nós povo gaúcho e da nossa Semana Farroupilha.
De ante mão, vou adiantando que o nosso respaldo legal, encontra-se na lei nº 4.850/1964. Essa lei oficializou a Ronda Gaúcha, que passou a ser chamada Semana Farroupilha, seus comemorativos vai de 14 a 20 de setembro. 
No ano de 1996, o dia 20 de setembro foi oficializado como o Dia do Gaúcho. Essa é a data máxima para nós, porque celebramos os ideais da Revolução Farroupilha, que tinha como objetivo propor melhores condições econômicas para o Rio Grande do Sul.
ENTENDA POR QUE PELEAMOS
No século XIX, o estado do Rio Grande do Sul vivia basicamente da pecuária e da produção de charque que era vendido à outras regiões do País. O governo Imperial, resolveu aplicar altas taxas de impostos, sobre o nosso charque gaúcho tornando-o pouco competitivo. Não demorou muito para que o charque proveniente do Uruguai e da Argentina passasse a suprir as demandas do Império.
Alguns gaúchos estancieiros e militares, propuseram ao Império Brasileiro novas alíquotas para o charque, a fim de retomar o mercado perdido para os vizinhos do Prata. A resposta do Império foi não e  deu-se início a peleia. Gaúchos contra o Império.
Em 20 de setembro de 1835, tropas lideradas pelo general Bento Gonçalves marcharam rumo a Porto Alegre e tomaram a capital gaúcha. Ao governador Imperial Fernandes Braga, não restou outra saída, fugir para a cidade portuária de Rio Grande.
Em 11 de setembro de 1836, Antônio de Souza Netto proclama a República Rio-Grandense, indicando o general Bento Gonçalves como presidente. O líder farrapo, mal toma posse e é preso na Batalha da Ilha do Fanfa. Primeiro levado preso ao Rio de Janeiro, e logo em seguida para o Forte Mar, em Salvador, de onde fugira sem deixar rastros. Outro que peleou ao lado dos gaúchos, foi o italiano Giuseppe Garibaldi, que em 1839 toma a cidade de Laguna, em Santa Cataria e funda ali a República Juliana. Finalmente os farroupilhas tinham um porto a beira mar.
A Revolução Farroupilha estendeu-se por dez anos. Somente em fevereiro de 1845 é então selada a paz em Poncho Verde, conduzida pelo general Luis Alves de Lima e Silva. Muitas das reivindicação dos gaúchos foram atendidas e a paz voltou a campear pelo Brasil.
A Revolução Farroupilha é o mito fundante da nossa cultura gaúcha. É a partir dela que se estabelece toda a identidade do povo gaúcho, com nossas tradições, ideais de liberdade e igualdade. Hoje a nossa cultura é reverenciada não só no estado, mas no país e no mundo, através de miliares de CTGs (Centros de tradição gaúcha) espalhadas por todos os cantos.
Nas empresas, nas repartições públicas, em todas as camadas sociais, durante esse período, as pessoas costumam trabalhar usando as roupas típicas. As crianças vão à sala de aula pilchadas, é um orgulho para todos nós que acreditamos muito nas crianças. Elas são incentivadas a participar, inclusive no desfile de 20 de setembro, para que  nossas tradições nunca seja esquecida.
Nosso hino é cantado e em bom tom, antes de qualquer partida de futebol e a cada 20 de setembro, nós gaúchos e gaúchas reafirmamos o nosso orgulho por nossas origens e o amor por nossa terra.
"Sirvam nossas façanhas de modelo a toda a terra!" (Hino Rio-Grandense)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.