Buenos Aires parte nova - Tango - Retorno

A parte nova da Capital Portenha, leia-se Puerto Madero, hoje é um dos bairros mais modernos da cidade e um dos principais centros financeiros de Buenos Aires.
O porto foi criado na última década do século XIX, com uma fisionomia similar ao porto de Londres e de lá para cá  vem sofrendo grandes transformações. A partir da década de 1990, com investimentos maciço de grupos estrangeiros, o porto ganha nova forma e muda-se a realidade ao redor do Rio de la Plata.
Hoje são luxuosos arranha-céus, comerciais e residenciais além de famosos monumentos como a Puente de la Mujer e Fragata Presidente Sarmiento, o primeiro navio da Argentina, hoje é utilizado como museu.
Puerto Madero, hoje é o bairro mais caro de Buenos Aires, está dividido em quatro regiões chamadas de Diques, é visitado por  turistas de muitos países e suas ruas, em sua grande maioria levam o nome de influentes mulheres latino-americanas.

Tango.
O tango nasce na Argentina, no final do século XIX, de uma mistura de vários ritmos, proveniente das regiões mais pobres de Buenos Aires. Esteve associado desde o princípio a bordéis e cabarés e mal visto pela elite da alta sociedade portenha. 
No inicio somente as prostitutas frequentavam a  esses  bailes, e era comum que o tango fosse dançado por um casal de homens.
Depois que a dança teve sucesso na Europa, o tango começou a se espalhar pelos bairros nobres e a ser aceito pelas "melhores famílias" da época.
Um dos  grandes inventores e divulgador do tango no exterior foi Carlos Gardel, falecido em 1935 aos 45 anos de idade.
O tango é hoje algo que identifica a alma portenha e está espalhado por toda Buenos Aires.
Assistir a um espetáculo de tango com jantar incluído varia de 100 a 150 pesos.

Após alguns dias em Buenos Aires, chegou a hora de retornar ao Brasil e a realidade. O que posso afirmar é que vale a pena visitar a capital portenha e, se você tem intenção em viajar para lá, vai sem medo, Buenos Aires é hoje uma cidade que vive do turismo, portanto, você será bem recebido. Claro cuidados com carteiras e bolsas é preciso ter em qualquer grande metrópole e Buenos Aires não é diferente, mas é tranquilo, é só não dar bandeira. Quanto a roupa a usar, também tranquilo, a maioria do tempo usei bermudas, camisetas e meu chinelo de dedos, aquele que tem uma bandeirinha do Brasil. Quanto aos taxistas, que atualmente são 80 mil circulando por toda a Capital, deve-se evitar pagar a corrida com cédula de 100 pesos. Isto é recomendado porque existe bastante dinheiro falso circulando na Argentina e principalmente com os taxistas. As corridas difícilmente chegam ao valor de 50 pesos, se você for pagar com 100 pode receber de troco 50 pesos falso. Caso não tenha dinheiro trocado vá a um mercado ou café de fim de tarde que é uma maravilha, compre alguma coisa e troque seu dinheiro. No mais, boa viagem e divirta-se!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que legal! Família Alcará agradece ao seu comentário nota 10. Em breve estará disponível à todos.